16 de set de 2016

Falta de água em Vitória - Saiba tudo sobre a crise de água no nosso estado!


Falta de água em Vitória  -  O Espírito Santo vive uma alarmante situação por falta de água.


A crise hídrica entrou no seu período mais preocupante.

O Rio Santa Maria da Vitória, que abastece municípios da Grande Vitória e do interior do Espírito Santo, está com o nível cada vez mais baixo.

Segundo o secretário executivo do Comitê de Bacia do Rio Santa Maria, se o estado não tiver chuvas significativas até outubro, a população pode ficar sem água.

Esta é considerada a pior seca do Espírito Santo.

Falta de água em Vitória


 Segundo o governo, os próximos meses, até o fim do ano, serão de alerta e intensificação das ações para minimizar os impactos da escassez de chuva.

Em todo o mês de agosto, os Rios Jucu e Santa Maria registraram vazões que ultrapassaram o limite considerado crítico.

No dia 31, as vazões medidas foram 4.061 l/s e 2.376 l/s, respectivamente, o que representa 26% e 31% da média mensal de vazões para esse período.


Antes, as médias mensais eram de 15.345 l/s no Rio Jucu e 7538 l/s no Rio Santa Maria.


Além disso, o mês de agosto foi mais quente e seco do que o normal em praticamente todo o Estado, mesmo com a passagem de três frentes frias ao longo do mês (a média de passagem do sistema em agosto no estado é de duas frentes frias).

Quanto às chuvas, a quantidade registrada mal corresponde à metade do esperado.

Falta de água em Vitória
Falta de água em Vitória


Crise Hídrica no ES


Atualmente, 18 municípios capixabas estão em situação extremamente crítica, quando o volume de água disponível não atende à necessidade da população.

A maioria deles está na região Norte e Noroeste.

Não há previsão de chuva


De acordo com o Incaper, não há previsão de chuva para os próximos dias.

Segundo o Instituto, qualquer chuva que for registrada neste período não será suficiente para restabelecer os mananciais.

Municípios sob racionamento de água devido à crise hídrica


Barra de São Francisco

Período de racionamento: 11 às 22 horas

Cidade Nova da Serra (Serra)

Período de racionamento: Abastecimento exclusivamente feito por carro-pipa


Período de racionamento: 17 às 7 horas

Distrito de Imburana (Ecoporanga)

Período de racionamento:10 às 7 horas

Distrito de Paulista (Barra de São Francisco)

Período de racionamento: 17 às 7 horas

Distrito de Santo Antônio do Canaã (Santa Teresa )

Cidade dividida em 3 setores que recebem água durante 12 horas por dia, cada setor tem um dia com abastecimento e dois sem.

Ecoporanga (Sede)

Rodízio de 6h da manhã às 6h da manhã do dia seguinte em dias alternados para as partes norte e sul da cidade

Distrito de Timbuí (Fundão)

A localidade recebe água durante um dia, das 22 às 6 horas, e fica dois dias sem abastecimento.

Mantenópolis

11 às 16 horas

Muniz Freire

23h às 6h

Muqui

No bairro São Domingos e parte do bairro São Pedro, abastecimento paralisado das 13 às 4 horas. Bairro Nossa Senhora Aparecida e Alto Boa Esperança, abastecimento paralisado das 13 às 8h. Parte baixa da cidade, abastecimento paralisado das 12 às 0 horas, em dias alternados. Nos dias ímpares, abastecimento paralisado nos bairros Entre Morros, Goiabão, e Centro Sul. Nos dias pares, paralisação do abastecimento nos bairros Centro Norte, Boa Esperança, São Francisco, São Pedro e Santo Agostinho.

Pancas

10 às 18 horas

Santa Teresa (Sede)

Sem abastecimento das 6 às 18 horas

São Gabriel da Palha

12 às 21 horas

São Roque do Canaã

6 às 18 horas em dias alternados

Vila Pavão

3 às 18 horas

Vila Valério

De 17 às 8 horas: Centro, Raphael Thomas, Santa Rita e parte baixa de Boa Vista. E de 8 às 17 horas: Nossa Senhora da Penha, Vila Nova, Nova Aliança e parte alta de Boa Vista.


Economize!

Vamos fazer nossa parte, economizar, consumir menos. Temos que ter consciência, preservar o meio ambiente. E você, o que tem feito alguma coisa para economizar e de alguma forma ajudar a conscientizar as pessoas?


Fontes:

Folha Vitória
G1
Cesan


0 comentários: